Direh - Diretoria de Recursos Humanos

O que há de mais importante na Fiocruz Adicionar o RSS

Foto: Paulo Roberto Boechat

Paulo Roberto Boechat

O Cirurgião Pediátrico Paulo Roberto Boechat trabalha no Instituto Fernandes Figueira –IFF - desde 1968, quando iniciou sua residência médica na unidade. Atualmente é o chefe do Departamento de Cirugia Pediátrica do IFF.

Há quanto tempo você está na Fiocruz?
 
Estou no IFF desde 1968 quando iniciei minha residência em Cirurgia Pediátrica. Nessa ocasião o IFF pertencia ao Departamento Nacional da Criança, do Ministério da Saude. Terminada a residência médica, permaneci como Médico Assistente de Cirurgia Pediátrica.  

Em 1975 fui para os Estados Unidos - Universidade de Miami, onde fiz mais um período de treinamento - Chief Resident in Pediatric Surgery.

Quando voltei em 1978, o IFF passou a pertencer à Fiocruz. Portanto, na Fiocruz estou desde 1978.

 
Qual a sua formação?
 
Sou médico formado pela UFF em 1962. Tornei-me cirurgião pediátrico após resdiência médica no IFF e na Universidade de Miami, na Flórida.
Tenho título de Especialista em Cirurgia Pediátrica. Sou membro da Associação Brasileira de Cirurgia Pediátrica (CIPE), do Colégio Brasileiro dos Cirurgiões e Fellow do American College of Surgeons.


Você sempre atuou no IFF, ou já passou por outras unidades?
 
Exerço minha especialidade no IFF desde a minha residência médica. Fui cirurgião pediátrico do Hospital Souza Aguiar e do Hospital dos Servidores do Estado.  Na Fiocruz nunca atuei em outra unidade

Quais atividades desenvolve atualmente?
 
Eu fui chefe do Departamento de Cirurgia Pediátrica de 1980 a 1985, quando fui eleito Diretor do IFF, até 1989, e reeleito. Em 1993-1994 fui Research Fellow da Universidade de Pittsburgh, Pensilvania, Estados Unidos.
De 1994 até a presente data sou chefe do Departamento de Cirurgia Pediátrica do IFF.
 

Quais os maiores desafios deste seu trabalho?
 
Um dos maiores desafios de meu trabalho foi desenvolver cuidados, aperfeiçoar técnicas e realizá-las nas crianças com dedicação e quase devoção, em especial no recém-nascido portador de anomalias congênitas, visando sua correção e a obtenção de melhor qualidade de vida destes pacientes. 

Além disso realizamos o treinamento de inúmeros profissionais de todo o país na especialidade.

 
E as maiores alegrias?
 
As maiores alegrias foram as de obter cada vez melhores resultados para os pacientes, poder contribuir de maneira efetiva para assistência especializada a pacientes recém-nascidos de toda a cidade do Rio de Janeiro, do Estado do Rio. Tudo isso ao mesmo tempo em que treinamos médicos especialistas que foram exercer sua profissão nos mais diversos estados do Brasil.

Como Diretor do IFF, tive a alegria de, junto com meus parceiros, realizar mudanças profundas na vida da Instituição, tornando-a moderna e melhor condicionada para realizar sua missão. Criamos o Mestrado da Saúde da Mulher e da Criança, hoje já com 20 anos de existência.


Relate alguma experiência marcante vivida nestes anos de Fiocruz.
 
A minha experiência mais marcante é vivida diariamente no IFF ao ser reconhecido pelo nome por pacientes, pais ou responsáveis e pelos colegas de trabalho como um trabalhador dedicado, sincero e lutador pelas causas da instituição. Nada substitui ao "oi Dr. Paulo" que ouço todos os dias, incluindo sábados, domingos e feriados nos corredores do IFF.

Casos marcantes, experiências emocionantes ou momentos de extrema emoção são constantes na minha vida nesta instituição e não há como destacar esta ou aquela. As decepções existem, mas não conseguem fazer frente às alegrias do dia a dia.

 
O que representa a Fiocruz para você?

A Fiocruz é uma grande instituição de saúde. Em cada canto, em cada laboratório, fábrica ou hospital existem muitos colegas dedicados e muitos de extrema competência. Sinto-me feliz por fazer parte dela e poder conviver com aqueles que, de um modo ou de outro, sempre se lembram de sua principal missão: ajudar o próximo fazendo sempre o melhor e dando todo o seu esforço e, principalmente, o seu carinho para os que dele necessitam.

Entrevista publicada em 08.12.2009 - Foto: Comunicação/IFF

Comentários (2)

Tem alguma história, um depoimento sobre Paulo Roberto Boechat? Cadastre-se e compartilhe! Se já for cadastrado faça o login.


Sem foto Diane Graciele Vidal Vasconcelosem 26.02.2010 às 11:09
N/A

Oiiiieee!!! Doutor Paulo Roberto!! Há quase 27 anos, o Sr e a sua equipe me deu a minha vida de novo!!! Fui considerada um "Milagre da Medicina"....lembra?!!! Pois é ....sou a DIANE GRACIELE VIDAL VASCONCELOS, sou eternamente grata à Deus , por tanta sabedoria e de iluminar o Sr ,com esse trabalho tão lindo que é de salvar pessoas inocentes,como eu fui. Hoje moro em Gramado/RS, sou Casada e Trabalho c/ recepcionista na Di Solle Cutelaria. Chega ser para mim , uma emoção muito grande, depois de encontra-lo a muito tempo. Agradeço de todo o meu coração!!! Meu e-mail é portaria@disolle.com.br Diane Graciele Vidal Vasconcelos

Sem foto wanderlucia melo de carvalho lacerdaem 14.03.2012 às 19:46
N/A

oi doutor paulo queria agradecer ao senhor e sua equipe por ter ajudado a minha filhinha , que com um meis de vida teve que passar por uma cirurgia para retirar um cisto de coledolo eu fiquei enternada com ela para ela poder operar e fui muito bem tratada , o senhor deu a autorizaçaõ por telefone para a medica da maternidade herculano pinheiro em madureira para que minha filha fosse se enternar graças a DEUS correu tudo bem na cirurgia e hoje ela estar com 5 meses e é uma menina linda obrigada não tenho como pagar o que o senhor fez por ela só deus que pode te pagar e que ele te ilumine a cada dia de sua vida atenciosamente : wanderlucia melo

Fundação Oswaldo Cruz - Diretoria da Recursos Humanos Av. Brasil, 4365 - Pavilhão Figueiredo de Vasconcelos/ Sala 215 Manguinhos - Rio de Janeiro - RJ CEP: 21040-360 Tel: (21) 3836-2200/ Fax: (21) 3836-2180

Ver mapa